Seu navegador não suporta javascript!

Notícia

Home > Notícias > Notícia

22 de janeiro de 2019

Agência iNFRA: Governo deve iniciar testes para VLT em linha de carga no entorno do DF

A Agência iNFRA, especializada em notícias sobre o setor de infraestrutura, publicou no dia 22 de janeiro texto sobre o papel da Empresa de Planejamento e Logística (EPL) nos estudos para o funcionamento de uma linha de VLT ligando Brasília e o entorno do Distrito Federal, em Goiás. Confira abaixo:

Governo deve iniciar testes para VLT em linha de carga no entorno do DF

O governo deverá iniciar nas próximas semanas os testes para o funcionamento de uma linha experimental de VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) ligando o município de Cidade Ocidental (GO), no entorno do Distrito Federal, à Brasília.

Acordo trabalhado ainda no governo de Michel Temer, entre o antigo Ministério das Cidades (agora Desenvolvimento Regional), a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e os governos locais, vai permitir a chegada de uma composição que não está em uso pela CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos). Os testes terão início sem passageiros, num trecho da malha da FCA (Ferrovia Centro-Atlântica).

Os testes vão analisar a velocidade em que a composição pode trafegar, tempos de percurso, se há interferências e se a linha tem problemas para esse tipo de operação, entre outras análises.

Se após o período experimental, estimado em 3 meses, o transporte se mostrar viável, a CBTU vai implantar uma plataforma na Cidade Ocidental para receber passageiros e levá-los até uma estação de trens existente e sem uso em Brasília, a Rodoferroviária.

A composição tem capacidade para 400 passageiros, mas o início das operações será com passageiros convidados, sem cobrança. O VLT que vai operar é movido a diesel, adquirido junto à Bom Sinal.

A ideia é que essa linha tenha um serviço único ao longo do dia, nos horários de pico da manhã e da tarde, enquanto a Empresa de Planejamento e Logística (EPL) realiza estudos para ampliar a capacidade da linha, localização de estações, entre outros. Além de ter apenas uma composição, a linha é singular.

O diretor-presidente da EPL, Jorge Bastos, determinou análises, que devem se estender ao longo de 2019, para avaliar a viabilidade de uma concessão ou outra forma de serviço nessa região.

A ideia do então ministro das Cidades, Alexandre Baldy, atualmente secretário no Governo de São Paulo e responsável por destravar o projeto, era de que a operação ocorresse ao longo do período de estudos para auxiliar nas análises e, posteriormente, já ter um público usuário para o sistema.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, já determinou que a EPL faça levantamentos de áreas onde atualmente as linhas de trem de carga estão subutilizadas ou abandonadas, para avaliar a viabilidade de serem usadas para transporte de passageiros sobre trilhos, o que ficará sob os cuidados da Secretaria de Mobilidade Urbana do Ministério do Desenvolvimento Regional.

Clique aqui para ler o texto no site da Agência iNFRA.